ecfamalic-famalicão

Abril 05 2016

Castro de Penices/ Gondifelos – Vila Nova de Famalicão

penices

Castro situado num meandro do rio Este, em Penices – Gondifelos. Destaca-se entre os povoados proto-históricos do Baixo Ave precisamente por aquela característica topográfica, que lhe proporciona excelentes condições defensivas graças às pronunciadas escarpas que o delimitam sobretudo a Oeste e Noroeste.
No interior, foram detectadas diversas bases de cabana delimitadas por buracos de poste e pavimentos em argila (não expostas por razões de conservação), pertencentes à fase mais antiga de ocupação, datada do Bronze Final (sécs. VIII-VII a.C.). São visíveis três construções circulares, uma delas com vestíbulo, delimitadas por um muro e pela própria muralha, que faziam parte de um núcleo familiar.
O sistema defensivo deste pequeno povoado integrava, além da muralha central e do aproveitamento da escarpa natural – que pode observar-se a Noroeste – um complexo de três fossos e outros tantos taludes implantados na área mais aberta, a Sudeste.
A ocupação deste pequeno povoado, descoberto na década de 1980 e que contou desde então com diversas campanhas de escavação está compreendida entre o Bronze Final, e o séc. I, altura em que foi abandonado, voltando a ser habitado, pelo menos parcialmente, entre finais do séc. IV e inícios do V.
Bibliografia
Dinis, António P. – Ordenamento do território do Baixo Ave no I Milénio A. C. Porto: Fac.Letras Univ. Porto, 1993. Dissert. Mestrado, policop.

Investigação e pesquisa: Eduardo Manuel Santos Carneiro

Castro situado num meandro do rio Este, em Penices – Gondifelos. Destaca-se entre os povoados proto-históricos do Baixo Ave precisamente por aquela característica topográfica, que lhe proporciona excelentes condições defensivas graças às pronunciadas escarpas que o delimitam sobretudo a Oeste e Noroeste.
No interior, foram detectadas diversas bases de cabana delimitadas por buracos de poste e pavimentos em argila (não expostas por razões de conservação), pertencentes à fase mais antiga de ocupação, datada do Bronze Final (sécs. VIII-VII a.C.). São visíveis três construções circulares, uma delas com vestíbulo, delimitadas por um muro e pela própria muralha, que faziam parte de um núcleo familiar.
O sistema defensivo deste pequeno povoado integrava, além da muralha central e do aproveitamento da escarpa natural – que pode observar-se a Noroeste – um complexo de três fossos e outros tantos taludes implantados na área mais aberta, a Sudeste.
A ocupação deste pequeno povoado, descoberto na década de 1980 e que contou desde então com diversas campanhas de escavação está compreendida entre o Bronze Final, e o séc. I, altura em que foi abandonado, voltando a ser habitado, pelo menos parcialmente, entre finais do séc. IV e inícios do V.
Bibliografia
Dinis, António P. – Ordenamento do território do Baixo Ave no I Milénio A. C. Porto: Fac.Letras Univ. Porto, 1993. Dissert. Mestrado, policop.

Investigação e pesquisa: Eduardo Santos Carneiro

publicado por EduardoSantosCarneiro às 14:42

Eduardo Santos Carneiro
mais sobre mim
Abril 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


pesquisar
 
blogs SAPO